Balanço de final de ano

December 14, 2015

 

Fim de ano: tempo de balanços e retrospectivas! Como costumo (e gosto muito de) conversar com as pessoas, sempre antes ou depois das reuniões que participo, acaba sendo inevitável não analisar os sentimentos em pauta no final de cada ano. Por isso, enquanto pensava neste texto, achei a temática bem apropriada: partilhar o que tenho visto e sentido no mercado midiático. Contudo, desta vez, não com o foco nos meios e nas plataformas, mas nas pessoas! Sim. Exatamente nas pessoas que atuam nos meios, nas agências e nas plataformas de mídia.

O primeiro destaque vai para a percepção de grande parte dos profissionais com quem ando interagindo. Estes são uníssonos na constatação de um cenário midiático complexo, multifacetado e veloz. Justamente por isso, mesmo em meio à crise política e econômica na qual estamos imersos, tais profissionais “midiáticos” enxergam mais oportunidades do que problemas. Até aqui tudo é bastante positivo. Afinal, vemos otimismo e esperança para os negócios que envolvem as mídias, as plataformas e os suportes. Mas, infelizmente, não é apenas isso que é expresso nas nossas conversas...


É igualmente recorrente que os profissionais enxergam que a mudança é mais expressiva pela ampliação do online. E isso, consequentemente, atinge, mas não beneficia a todos. Visto que alguns pagarão um preço maior nessa transformação de mercado - que é verdadeiramente revolucionária - e reverbera em todos os meios, mas também no mercado de marketing. Ao mesmo tempo, tenho percebido que as pessoas acreditam que as grandes mudanças são processuais e estão sendo incorporadas de forma natural e orgânica. Menos mal! Estamos digerindo gradual e continuamente um “mundo novo” que se descortina diante dos nossos olhos...

Da mesma forma, não dá para não notar um ‘turbilhão de angústias” nos assediando. Este que surge mesmo em meio às falas mais otimistas. A angústia da aceleração da vida, da não detenção de todas as respostas, a angústia da emergência de tantos caminhos, gerando a cobrança constante de novas proposições.


Talvez, tudo isso não seja apenas fruto do período propício (final do ano) para balanços e retrospectivas, como escrevi no início deste texto. Talvez seja consequência da nossa inerente “condição pós-moderna”, como descreveu David Harvey no seu livro A Condição Pós-Moderna, demarcando que a vertiginosa “compressão espaço-tempo” promove e eleva essa angústia a novos patamares. Mas não apenas isso, visto que alcança e invade todas as esferas das nossas vidas. Ou, como diz Harvey, enquanto aumenta a pressão pelo “tudo-ao-mesmo-tempo-agora”, acendem os dilemas pelas coisas não feitas, não realizadas.

De forma geral, depois de conversar com tantas pessoas, chego a conclusão que esta nossa condição pós-moderna nos revela que a mudança não se constitui como um processo fácil, pois exige uma adaptação muito grande que, necessariamente, mudará os nossos próprios perfis profissionais. As demandas mudam o tempo todo e vamos ter que discutir sobre aspectos que nunca discutimos! Se isso vai acontecer já em 2016, não sei dizer... Sei apenas que fim de ano é um período mais do que propício para balanços e retrospectivas...


fonte: http://www.meioemensagem.com.br/home/midia/ponto_de_vista/2015/12/BalanCo-de-final-de-ano

Please reload

Posts Em Destaque

Suporte Técnico em Informática

September 12, 2019

1/3
Please reload

Posts Recentes

September 12, 2019

September 4, 2019

August 23, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Horário de atendimento.

Segunda a Sexta: 8h as 18h

Copyright © 2016 Tecnophar. All Rights Reserved. Designed by Piuu